<$BlogRSDUrl$>

3.7.03

PIPI: AVIAS BILHAS. FINALMENTE 

Tem conseguido meter a glande e ela não protesta? Parabéns, completou o primeiro passo que o levará a partir bilhas a torto e a direito a partir daqui.
A esmagadora maioria das gajas adora levar no cu mas, ou tem medo que doa ou tem vergonha de o admitir. Para meter mais que a cabeça da pianinha no intestino terá de perceber em qual das duas correntes se integra o seu engate. É fácil saber isso. Pergunte-lhe porque é que nunca o fez. Se for preciso, para a manter segura e confiante, diga-lhe que VOCÊ TAMBÉM NUNCA O FEZ, mas que com ela deseja uma relação o mais completa possível e que essa completude só se atinge com a penetração anal. (É mentira, porque essa completude só se começa a atingir com um banhozinho de chuva dourada, mas isso são cenas dos próximos capítulos).
Se ela tem vergonha, encave à vontade, desde que antes ela tenha bebido meia garrafa de Vodka e esteja demasiado bêbada para fechar o esfíncter. Lembre-se, ela quer levar com ele no cu, porque tem a rata mais larga que o túnel das Amoreiras e prazer é coisa que não sente há muito, muito tempo. Ansioso está ela para que aparece um maduro que lhe coma o cu e lhe devolva a vida. Porque as pilas de plástico não são de facto a mesma coisa. Um leiteiro zarolho dos bons, rijo e bojudo, cheio de nervuras e com tomates peludos é mesmo o que ela pretende naquele cu. Bombe até se esporrar ou tire-o momentos antes e esguiche-lhe as costas.
Se ela tem medo, vá com cautelas e prepare-se para esperar uma semana até o enfiar até aos colhões. Vai dar-lhe pouco prazer, aviso-o desde já. A piça vai ficar dorida e é até provável que murche. Se isso estiver para acontecer, lembre-se da quarentona que anda a foder e dos cornos do marido (não anda a foder uma quarentona? Tire-o para fora e espanque o macacão, pois suponho que não há fluffers nas redondezas).
Vá insistindo, cada centímetro é uma vitória. Não se esqueça de lhe foder a cona com os dedos e de lhe apertar as mamas de vez em quando e de ir zurrando.
Mas, lembre-se, quando conseguir, você acabou de partir uma bilha. Alguém, algures, num futuro próximo, vai ficar-lhe grato. Ou julgava que ela ia guardar o cu só para si?

PIPI – QUERES AVIAR BILHAS? ENTÃO APRENDE! 

De um modo geral, as gajas que nos chegam à unha já chegam com a rodagem feita. Naquele túnel do amor, já lá andaram umas mãos cheias de marsapos, uns cabos de escova, os dedos de várias mão e nalgumas até línguas de cão. O facto de elas já virem alargadas facilita o serviço de as esfodaçar à vontade sem ter de aturar grunhos de dor. Não que isso não fosse bom, porque alguma dor é sempre agradável, mas há fodas em que vigora apenas o princípio do êmbolo e um gajo quer é vazá-los, ela mama para o meter de pé, vazá-los outra vez, ela mama para o meter de pé, vazá-los outras vez (segue até fartar).
Evidentemente muitos de nós já experimentarem a célebre canzana e viram aquele buraquinho negro a rir-se e a dizer “querias, batatas com enguias, eu cagava e tu comias”. Estamos a rebentar-lhes a conaça, mas não conseguimos de deixar de pensar em como será papar-lhe o cu, a ambição suprema de qualquer fodilhão.
Pela minha experiência, 1 em cada 4 gajas que conseguimos levar ao engano para nos abocanhar a pistola, usa o cu na cama. Sabe ser encavada e faz gala nisso, usando-o como um prémio de boa performance. Portanto, a cada novo escalpe, só temos de foder bem e devagar, para que no fim tenhamos direito a enfiá-lo no cu da gaja (antes, porém, já nos esporrámos duas a três vezes para que a rigidez do membro, aquando da penetração pela rectaguarda, não seja total).
Pois bem, mas como partir uma bilha pela primeira vez? Antes do mais, devemos lembrarmo-nos da paciência que Miguel Ângelo teve para pintar o tecto da capela Sistina. Ou seja, não conte com isso na primeira investida. O segredo está em dar boas fodas incompletas. Esforçados minetes que interrompemos mesmo quando ela está a ficar aguçada, encavanços interrompidos ou simples manobras digitais no clito até que este fique do tamanho de uma ostra, mas nada mais.
Uma bilha para ser partida tem de começar por ser lambida. Treine com a língua. Verifique que está limpa e toca de foder-lhe o cu com a língua. Seguir-se-á um dedo e depois os outros. Finalmente, duas ou três semanas deste ritual serão suficientes para lhe aviar a bilha.
Aproveite a lógica da canzana e posicione-se. Roce a cabeçorra pelo anus, de forma a verificar possíveis reacções antagónicas. Note-se que ela já se deve ter vindo várias vezes e estará mais laça que uma blusa da Zara. Se não houver nada contra, introduza a glande e faça imensos ruídos de prazer. Mas fique por aqui. Você completou o primeiro passo. Em breve os outros.

2.7.03

Porque até o PIPI se lava 

... lavando o pipi todas nós somos marias

Omelete Pipi 

Ingredientes:
4 ovos
2 dcl de leite
200 gr de fiambre cortado em quadradinhos
200 gr de queijo tipo flamengo cortado em quadradinhos
Uma lata de cogumelos laminados
50 gr de requeijão
150 gr de delicias do mar cortadas em quadradinhos
Uma pitada (grande) de oregãos
Uma pitada de sal

Decoração:
4 folhas de alface cortada em tiras finas
Duas cenouras raladas
2 tomates aproveitando as rodelas do meio


Preparação:
Junte o leite aos ovos inteiros,(sem casca claro, e bata num prato de sopa, com a ajuda de um garfo até ficarem bem envolvidos, depois junte todos os ingredientes e leve à frigideira, que deverá estar só coberta com um fina camada de óleo,
deixe fritar em lume brando até atingir a consistência desejada, por fim sirva em quartos enfeitando os pratos com alface cenoura e uma rodela de tomate.

PIPI DESMASCARADO! 

Após inúmeros boatos sobre a verdadeira identidade do PIPI, O MEU PAU revela-lhe em primeira mão quem é o homem que até já deu uma entrevista ao Expresso. Saiba tudo, aqui.

Crítico: UMA AMÉLIA QUE DÁ O CU 

Continua, a muito custo devo dizer, a minha viagem, pela paneleiragem. Até há uns minutos achava que não havia roto maior que o Fumaças, mas o Crítico bate-o aos pontos. Este sujeito, certamente com um colhão maior que o outro e com um desvio peniano de mais de 45 graus para a direita, acha-se o maior da rua dele. Ele caga o que come ou come o que caga? O mais certo é comer o que caga, pois ele cagará de certeza depois das sucessivas bombadas que lhe dão no cu. Talvez por isso lhe estejam sempre a dizer: "és tão crítico porquê? Enchi-te a boca de esporra e o cu de fodas e ainda criticas?"

FUMAÇAS: UM ROTO QUE ENGOLE 

É por estes FUMAÇAS e por outros rotos que me vi obrigado a ter o meu blog. Foda-se mas que merda é esta? Não há uma lei que proíbe esta rotice pegada? Esta manifestação de punheta que nos salpica os olhos? Esta lambecuzice, esta roçacolhãozice?
Foda-se, pior pior só o Pipi

É SÓ PANELEIRAGEM: instruções sobre a mamada 

Nesta merda dos blogs só vejo paneleiros ou gajos que não fodem. Não há nada pior que um gajo que não fode, com a possível excepção de um gajo a quem nunca fizeram um broche até ao fim. E quando digo até ao fim, digo com direito a que lhe seja sorvida a carga a disparar. Mas é aqui, no pessoal dos blogues, que se juntam os paneleiros e os punheteiros, gajos para quem uma mamada é aquilo que vêem no Canal 18 e com cujas memórias vão espancar o macaco a seguir.
O Pipi, esse panilas, aposto que nunca teve direito a uma mamada decente. Nota-se à légua. Nota-se que nunca nenhuma gaja lhe começou por meter a mão por dentro das calças para ver se a cabecinha estava madura e depois lhe começou a desapertar o cinto, desabotoar as calças, e, Pimbas, eis que o abocanha.
Provavelmente o Pipi não sabe, mas ainda não é nesta altura que se agrra a cabeça da gaja e se faz força para baixo. Primeiro, e tal como se faz com um bom vinho, ela tem de apreciar o 'bouquet' e os taninos do Zé, antes de chegar a hora de mamar como uma porca, de preferência com imensos e variados ruidos salivares para aumentarem a intensidade.
É precisamente quando começamos a escalar a montanha que nos vai levar até à esporradela, que lhe metemos a mão aberta na tola para que o nosso badalo lhe vá até ao sininho da garganta. E só então devemos derramar aquela carga quentinha na goela. Mas não se julgue que a coisa termina aqui. Depois da pomada devidamente deglutida, cabe à gaja lamber-nos a glande para acalmar as feridas.

Próxima lição: Como conseguir papar-lhe o cu.

1.7.03

PIPI: TU QUERIAS, MAS EU NÃO TE VOU AO CU 

O Pipi pelos vistos não sabe. Fala de foda, fala de foda, mas fala sobretudo de piça, o que me leva a pensar sobre se terá uma sua ou se tem de andar de obra em obra, perguntando pelo mamadu. E diz ele (a ver se pega):

- Viram o mamadu?
- quem é o mamadu?
- é aquele que me vai ao cu. E é nesta altura que o Pipi saca da carteira e troca notas de dez euros pela possibilidade de mamar o toutiço dos africanos. O seu spot favorito é o novo estádio da Luz.

Cá para mim, o Pipi não só anda numa tuna como é roto. Escreve no blog merdas que copia de números antigos da Gina, porque o que ele gosta é de é ter o túnel congestionado, a boca aconchegada e brincar às motas com aquelas mãozinhas.
Nada a opôr pipi, cu não tem sexo, mas não devias pensar no teu esfincter?
Em breve nem pagando vais ter piça para mamar e, quando fores preso, porque as prisões são o único sítio onde os gajos não são esquisitos, vais precisar de controlar os cagalhões. A não ser que te tornes na Amélia dos guardas.

Ejaculação precoce 

Peço desculpa pela banalidade do post anterior, mas é difícil pensar enquanto a namorada do PIPI tem o meu pau na boca.

Manifesto Anti-Pipi 

Gosto de Pipis. Daqueles que nos são servidos nas camas à noite, com uma bela taça de champanhe a acompanhar.

Gosto de Pipis. Daqueles que nos são servidos em pequenos pratos nas tascas alentejanas, com um copo de vinho branco fresco a acompanhar.

Detesto os falsos Pipis. Daqueles que nos são servidos em Blogs na internet, com uma meia dúzia de mentiras sexuais a acompanhar.

Infelizmente, nem Deus nem os alentejanos se lembraram de patentear a palavra Pipi...

PIPI, MEU CABRÃO, VAIS APRENDER A FODER 

Uma das razões que nos levaram a criar este blog imundo é ensinar o Pipi a foder.
Primeira lição caro Pipi: a sarda tem de estar dentro da ratunça para ser considerado uma foda. Punheta não conta.

Fado do Pau (Ode ao Pipi) 

Cumprindo a tradição portuguesa, nada melhor do que celebrar o nascimento do novo Blog com um fado ranhoso e enfadonho, daqueles que puxam a lágrima ao canto do olho e que nos fazem lembrar, vejam bem, o nosso Pau!

Esse seus pintelhos brancos, bonitos
Esse içar arrastado, profundo
Me dizendo coisas num grito
Me ensinando tanto do mundo
E esses passos lentos de agora
Fodendo sempre comigo
Já penetraram tanto na vida
Meu querido, meu velho, meu amigo.

Sua vida cheia de histórias
E essas rugas marcadas pelo tempo
Lembranças de antigas fodas
Ou lágrimas ejaculadas ao vento
Sua esporra macia me acalma
E me diz muito mais do que eu digo
Enterrando fundo na alma (do PIPI)
Meu querido, meu velho, meu amigo.

Seu passado vive presente
Nas experiências contidas
Nesse cu inconsciente (do PIPI)
Das belezas das coisas da vida
Sua erecção franca me anima
Seu tomate certo me ensina
Agarro-o com a mão e digo
Meu querido, meu velho, meu amigo.

Eu já lhe falei de tudo
Mas tudo isso é pouco
Diante do que sinto.
Olhando seus pintelhos tão bonitos
Agarro-o com a mão e digo
Meu querido, meu velho, meu amigo.

(Música concebida e escrita numa noite de enrabanço escaldante, em que por acaso o PIPI ficou com as nalgas em sangue)

This page is powered by Blogger. Isn't yours?